Tênis de mesa
12 de março de 2014
Raul Seixas – O Moleque Maravilhoso
27 de julho de 2016
Exibir Tudo
Representada por integrantes da Secretaria de Esportes, de Mobilidade Urbana e de Saúde, a Prefeitura de Jaú participou ontem de reunião com a gerência regional do comitê organizador do Revezamento da Tocha Olímpica da Rio 2016.
O encontro ocorreu no espaço pedagógico, e serviu para definir detalhes da passagem do fogo olímpico pelo Município, em 18 de julho deste ano, incluindo percurso da chegada à cidade, evento para recepcionar a tocha e o trajeto que ela vai percorrer.
O secretário de Esportes de Jaú, Celso Antonio Vequi Júnior, disse que a reunião de ontem contou com o gerente regional (SP/PR/SC/RS) do Revezamento da Tocha Olímpica da Rio 2016, Emiliano Xavier. Segundo ele, foi apresentado o projeto da passagem pela cidade e o que será preciso ser feito para organizar o trânsito para o percurso dos atletas e do comboio que acompanha o evento.
Horário da passagem da tocha pela cidade, trajeto e o que vai ser feito no evento de recepção e saída da tocha serão anunciados em breve.
Os nomes de todos os 12 condutores da tocha em Jaú serão anunciados no mês que vem. Em abril, eles vão conhecer o trajeto e o ponto exato que vão percorrer com o símbolo máximo dos Jogos Olímpicos.
Um evento a ser realizado na praça da matriz, onde ocorre o ponto inicial do revezamento, está sendo elaborado.
Os escolhidos
Também participaram da reunião representantes da Polícia Militar de Jaú e do Tiro de Guerra, além dos dois ex-atletas da cidade indicados para serem os condutores da tocha oficiais do Município, Claudio Roberto Sousa e Renata de Oliveira Burgos Ferrucci.
Os dois estão empolgados por participar da festa olímpica como representantes de Jaú.
Claudinho foi medalhista olímpico em 2000, integrando a equipe nacional de revezamento 4x100m, nos Jogos Olímpicos de Sydney, na Austrália. Quando encerrou a carreira escolheu Jaú para morar e hoje mantém projeto esportivo de atletismo em parceria com a Prefeitura de Jaú e a Caixa.
Já Renata nada por Jaú desde os 7 anos de idade e chegou à seleção nacional, onde disputou inúmeras competições internacionais. O auge foi em 2014, quando foi aos Jogos Olímpicos de Atenas, na Grécia e, ao lado de outras três nadadoras, bateu o recorde sul-americano no revezamento 4×100 m nado livre.
Paz, união e amizade
A Chama Olímpica é um importante símbolo na história dos Jogos Olímpicos e representa a paz, a união e a amizade. A chama é conduzida através das Tochas, em um grande revezamento que leva a mensagem Olímpica para além da cidade-sede e que termina com o acendimento da pira na Cerimônia de Abertura dos Jogos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *